Quando falamos de Bancos Digitais para uma audiência que está inserida no meio de inovação e transformação digital notamos que esses já são praticamente uma coisa corriqueira.

Uma revolução começou a surgir para nós, consumidores brasileiros, após o sucesso do Nubank, onde migramos para o “Cartão Roxo” e ficamos deslumbrados com a facilidade e a experiência com o relacionamento digital.

Esse sucesso estimulou o surgimento de várias Fintechs e levou Bancos Tradicionais a criarem rapidamente seus produtos “Somente Digital”. Agora, quase todos anúncios que vemos de Bancos na TV, mostram Apps, inovação, praticidade, digital wallet, inteligência artificial, etc. É uma grande briga pelo consumidor digital.

Porém, como fica para a imensidão de pessoas que ainda não possuem tanta maturidade digital?

Uma recente pesquisa feita, no já consolidado mercado americano, mostra que apenas 5,1% dos americanos já migraram para contas digitais, porém, existe uma grande fatia de pessoas que consideram migrar suas contas para Bancos Digitais.

 

Segundo a pesquisa, enquanto apenas 5,4% dos respondentes entre 18 e 34 anos, já possuem contas digitais, 47,8% consideram migrar sua vida financeira para Bancos Digitais ainda em 2019, entre respondentes de 35 a 50 anos esse número é de 46,9% e entre 51 a 65 anos 33,6%, totalizando 43% de todos respondentes.

Isso nos mostra um futuro grande mercado e novas oportunidades, e mesmo que essa pesquisa tenha sido feita nos Estados Unidos, as coisas não são diferentes aqui no Brasil.

 

Engajamento é a chave para o sucesso

O principal ponto sobre isso tudo é que, da mesma maneira que uma pessoa consegue criar uma conta digital do Banco X com facilidade, também consegue no Banco Y ou Z.

Pense no mundo real: um possível cliente vai a um jogo de futebol, e na camisa do seu time tem o patrocínio do Banco X, no gramado ele vê a peça publicitária do Banco Y, e quando chega em casa assiste na TV um anúncio do Banco Z.

Em todos os casos basta ele baixar o App, fornecer os dados necessários, tirar uma selfie e pronto, sua conta está aberta e em alguns dias novos cartões chegarão em sua casa. Então podemos dizer que a missão de algum desses bancos foi cumprida? Não mesmo.

Esse cliente pode ter aberto mais de uma conta digital e ainda deve receber seu salário em um dos 5 maiores bancos tradicionais do Brasil, então se você é um banco digital se pergunte:

  • Porque o cliente irá transferir dinheiro de sua conta tradicional para a do seu Banco Digital? 

Lembre-se que seus concorrentes também estão fazendo Apps fantásticos, se esforçam em branding, etc. Logo não se apaixone pelo seu App, ele pode não ser o seu maior diferencial.

  • Como as pessoas irão se lembrar de mim?

Lembra que seu cliente também abriu mais 2 contas digitais, e ainda recebe seu salário em um dos 5 maiores Bancos Tradicionais? Com tantas opções, como se sobressair?

  • De que maneira você será lembrado?

Você quer ser lembrado com um Banco que faz SPAM sem parar, que nunca se relacionou com o consumidor ou o que fornece informações relevantes de maneira cordial?

Por isso, engajamento é a chave de tudo. Uma boa estratégia de engajamento irá utilizar os canais certos para se relacionar com o consumidor de maneira pessoal, o educando, ressaltando a proposta de valor do seu Banco Digital, apresentando claramente seus diferenciais, maiores benefícios e assim conquistando seu coração.

 

Na prática

Entenda que seu aplicativo será o canal mais estreito com os consumidores e não se esqueça de criar uma presença forte no mobile com Push Notifications, para fazer isso acontecer:

  • Capture dados pessoais e comportamentais dos usuários:

Tenha uma visão 360º do usuário, entendendo quem ele é, sua idade, quando instalou o app, quando acessou pela ultima vez, quais ações ele realiza, entre outros.

  • Crie uma régua de relacionamento que vá de acordo com a jornada do consumidor:

Um cliente novo possui necessidades de engajamento diferentes de um cliente fiel, crie campanhas automáticas que serão disparadas nos momentos certos de acordo com a fase da jornada em que ele se encontra.

  • Utilize os dados capturados para segmentar seus usuários em audiências:

Pessoas são diferentes mas seguem padrões, agrupando seus clientes em audiências, você dispara a mensagem certa para a pessoa certa.

Conclusão

Semanalmente me deparo com clientes ou parceiros de Bancos Digitais com esse mesmo desafio e conversamos muito sobre o futuro dos bancos digitais no Brasil. De uma coisa não tenho dúvidas: com o passar do tempo mais e mais pessoas irão optar por bancos digitais, e aqueles que ainda não estão prontos, estão muito atrás na corrida.

Porém, vejo que em Bancos Digitais, equipes se esforçam muito mais em criar um App fantástico com a melhor UX e UI, ter uma super estratégia de Marketing, patrocinando os maiores times do Brasil e em serem os melhores em abertura de contas e emissão de cartões. Isso é tudo importante, porém, se falharem em o engajar seus clientes, podem estar perdendo tempo e dinheiro.

No fundo, contas digitais são igual a download de Apps, de nada adianta conquistar se você não consegue reter.

 

Fonte:

eMarketer: How Many Millennials Want Digital-Only Banking?