window.dataLayer = window.dataLayer || []; function gtag(){dataLayer.push(arguments);} gtag('js', new Date()); gtag('config', 'UA-73310035-1');

Não compre esses mitos sobre estratégia de mobilidade

Quando o smartphone parou de ser uma tecnologia emergente e se tornou o centro da vida das pessoas, começamos a ver várias estratégias de mobilidade surgindo e morrendo.

Em seu começo, aplicativos móveis ainda eram vistos como uma versão estendida do website da empresa. Porém, com o tempo, vimos que as pessoas não têm as mesmas interações nesses dois canais, e novas estratégias para engajar consumidores se tornaram necessárias.

Virou comum então escutar conselhos informais de como impulsionar estratégias de mobilidade, que até soam plausíveis, tornando cada vez mais difícil avaliar o que é verdadeiro e eficaz. Mesmo que vários desses conselhos pareçam trazer benefício ao  negócio, nunca é uma boa ideia tomar decisões sem olhar a fundo os fatos.

Por isso, para ajudar sua empresa diferenciar o que é mito do que realmente funciona, demos uma olhada em três mitos adotados por várias equipes de marketing e negócio.

no-compre-esses-mitos-sobre-estratgia-de-mobilidade

 

1. “Precisamos focar em adquirir usuários”

Sem dúvida esse é um dos mitos que mais escutamos por aí. Muitas empresas colocam muita verba da área de marketing em aquisição. É lógico que você precisa adquirir usuários em algum lugar, porém focar diretamente em adquirir usuários sem ter estratégia de retenção, irá te custar um dinheiro considerável, já que os custos de aquisição não param de crescer, além de sabermos que aproximadamente 75% dos seus novos usuários não acessarão seu App no dia seguinte à instalação.

Nos desculpe, mas se você ainda não se preocupa em reter os usuários que você já tem e ainda está olhando número de downloads, provavelmente está jogando dinheiro fora.

Isso não significa que reter usuários é simples ou fácil. Porém trabalhando estrategicamente, é possível aumentar consideravelmente as taxas de retenção. Para isso, é muito importante ter uma estratégia contínua que comece no primeiro acesso do usuário e continua o relacionamento com campanhas de re-engajamento, que ajudam a manter a atenção dos usuários, além de deixar sempre clara sua proposta de valor para aumentar o conceito da marca.

 

2. “Nós temos muitos usuários na web, então não ligamos muito para o aplicativo”

Diversas vezes, áreas de marketing e negócio digitais vêem muito valor no mobile, o que não torna fácil convencer outras áreas disso  (especialmente quando tudo começou em um website). Não assuma que seus usuários não querem acesso mobile só porque eles ainda acessam seu site. Provavelmente o primeiro ponto de contato do seu usuário será seu website, mas isso não significa que ele não vê valor em ter acesso em seu dispositivo móvel.

“E se nossos usuários preferirem fazer suas coisas nos seus smartphones?”

Provavelmente o engajamento iria crescer. De acordo a Appticles, quando o site IFC.com lançou seu website responsivo, descobriram que 37% do seu trafego vinha de mobile e que esse grupo era extremamente engajado. Logo, se a projeção da demanda está sendo feita baseada no que as pessoas fazem atualmente, você certamente está perdendo grandes oportunidades.

 

3. “Usuários de aplicativos são todos jovens, então meu conteúdo deve ser especialmente para atraí-los”

Algumas empresas associam mobilidade à juventude e constroem sua estratégia baseadas nessa ideia, porém ela não é realidade. É claro que os nativos digitais (millenials e Geração Y) amam seus smartphones, mas hoje não são a única faixa etária com esse sentimento.

no-compre-esses-mitos-sobre-estratgia-de-mobilidade

A adesão ao mobile está crescendo constantemente em pessoas de todas as faixas etárias. 88% dos que tem entre 30 e 49 anos , 74% entre os 50 e 64 anos, e 42% das pessoas com mais de 65 tem seu próprio smartphones.
Logo, existe muita demanda por conteúdo móvel em qualquer idade.

Em pesquisa realizada pela Pew Research Center study, os usuários de smartphones com mais de 50 anos estão utilizando apps de mensagem, navegando na web e acessando seus e-mails com quase a mesma frequência dos grupos mais jovens.

Com certeza não devemos subestimar o impacto da sua audiência jovem, porém não podemos nos acomodar enviando conteúdos genéricos. Por isso é necessário concentrar-se no público-alvo, independente da idade, quando estiver construindo a estratégia de engajamento da sua empresa.

 

QUANDO ESTAMOS FALANDO DA ESTRATÉGIA DE MOBILIDADE DA SUA EMPRESA, ANALISE A FUNDO.

no-compre-esses-mitos-sobre-estratgia-de-mobilidade

Seja começando uma estratégia de mobilidade do zero, ou se você deseja melhorar o impacto do esforço atual, é muito importante ter certeza que você não está adotando mitos que levarão sua empresa a perder oportunidades ou deixar seus consumidores descontentes.

Teste seu alcance e sempre tenha com você indicadores que ajudem a refletir o real desempenho da estratégia da sua empresa, possibilitando trazer resultados reais – mesmo que vá contra a sabedoria popular.

Nós da Inngage possuímos grande experiência em estratégias digitais, fique a vontade de nos enviar uma mensagem para tirar suas dúvidas.

1 Step 1

Receba conteúdos grátis no seu email

Previous
Next
Por |27 de março de 2017|Engajamento|0 Comentários

Sobre o Autor:

CO-Fundador e CEO (Chief Engagement Officer) da Inngage. Vamos conversar sobre engajamento de usuários?

Deixar um comentário